Lactobacillus Sp

Lactobacillus Sp – Como ela aparece e tratamento

Você já ouviu falar da bactéria Lactobacillus Sp? Sabia que ela está presente no corpo das mulheres? Sim, é verdade. Mas calma que esse fato não é necessariamente um problema. Neste artigo você vai conhecer um pouco mais sobre esta bactéria, sua função e também entender quando ela pode se tornar um problema para a saúde feminina, incluindo os sintomas que evidenciam quando a bactéria causa transtornos no organismo, bem como o tratamento mais adequado.

O Lactobacillus Sp é um microrganismo em formato de vareta, que existe normalmente na flora vaginal em grande abundância e determina o pH ácido da vagina, entre 3,8 e 4,5. Essa bactéria é responsável por impedir o surgimento de outras bactérias que são prejudiciais à mucosa vaginal, assegurando, desta forma, uma vagina mais saudável e limpa.

Características do Lactobacillus Sp 

Características do Lactobacillus Sp
Características do Lactobacillus Sp

Este Lactobacillus Sp é um gênero de bactéria denominada de gram-positiva e anaeróbia facultativa ou microaerofílicas. Mas o que isso quer dizer? Expliquemos a seguir:

Gram-positivas: são microrganismos que possuem uma coloração azul ou mesmo violeta. As paredes celulares das gram-positivas necessitam de membrana específica encontrada nas bactérias gram-negativas.

Anaeróbia: é um organismo que não precisa do oxigênio para crescer, sendo que ele pode ser multi ou unicelular.

Microaerofílicas: se proliferam em ambientes com pouca incidência de oxigênio, bem menor que a atmosfera da Terra, cuja concentração é de aproximadamente 20%. Ao mesmo tempo, sobrevivem mesmo com uma grande concentração de gás carbônico (entre 5% e 10%). Essas condições são similares as que existem no intestino, por exemplo.

Como se vê pelo exposto acima, o Lactobacillus Sp é um microrganismo bom que possui um papel extremamente importante no sentido de manter um bom funcionamento do organismo, já que combate o surgimento de bactérias que possam ser nocivas à vagina.

Quando o Lactobacillus Sp pode ser um problema

Lactobacillus Sp pode ser um problema
Lactobacillus Sp pode ser um problema

Mas, quando o Lactobacillus Sp pode ser um problema para a mulher? Bem, é possível que haja uma anormalidade quando a sua quantidade é maior ou menor do que o normal. No caso de índice de Lactobacillus alto, isso faz com que haja um maior extermínio de bactérias vaginais do que deveria, destruindo inclusive muitas que são importantes para um bom funcionamento do sistema urinário. Consequentemente, haverá um certo desequilíbrio na região.

Por sua vez, quando o nível de Lactobacillus está muito mais baixo do que o normal, isso facilita o surgimento de várias bactérias que são extremamente nocivas para o organismo e que acabam não sendo combatidas de forma adequada, já que há poucas bactérias Lactobacillus Sp.

Em situações como essas mencionadas, em especialmente pela pouca quantidade do Lactobacillus Sp no organismo, é possível que a mulher desenvolva doenças inflamatórias pélvicas, corioamnionites e até mesmo alguma infecção pós-cirúrgica, caso esse fenômeno ocorra depois de alguma operação. É possível ainda apresentar irritações intensas na região da vagina, vulva avermelhada, ardor na uretra e dor local.

Outro problema muito comum quando os níveis de Lactobacillus Sp estão menores na vagina é a vaginose bacteriana, que é caracterizada pelo corrimento e também por um odor bastante forte, que tende a aumentar durante a menstruação e também nas relações sexuais. A mulher não costuma sentir dor, coceira ou mesmo incômodo ao urinar, ao contrário de outros tipos de infecção.

O problema da paciente com vaginose é que ela se torna mais suscetível a contrair outras doenças, como as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis), caso haja relação com um parceiro contaminado, além de maior risco de contrair a doença inflamatória pélvica. Entre as DST’s mais comuns, temos: HIV, gonorreia, clamídia, HPV e herpes genital. No caso das grávidas, há um risco maior de parto prematuro.

Leitura recomendada: Células epiteliais na urina

Existe tratamento para acabar com o problema?

Não há necessidade de um tratamento específico para combater o desequilíbrio de Lactobacillus Sp na região vaginal. Isso porque, o normal é que o próprio organismo se readeque e normalize os índices da bactéria na vagina. No caso específico da vaginose bactéria, que ocorre quando a falta de Lactobacillus Sp na flora vaginal não foi restabelecida, é recomendável a ingestão de medicamentos antibióticos por via oral ou intravaginal. Os mais comuns são o metronidazol ou a clindamicina, além do tinidazol e do secnidazol.

Mas vale um alerta: a vagina é uma região bastante sensível, por isso, é fundamental manter uma boa higiene íntima. Mas com alguns cuidados relevantes. Atenção, por exemplo, à ingestão de determinados antibióticos que possam causar um descontrole no nível de bactérias da mucosa vaginal.

É bom prestar bastante atenção também quanto ao uso de duches vaginais que, em excesso, também podem “limpar demais” a região, alterar nos níveis do pH da vagina e provocar desequilíbrios da população de bactérias, propiciando o surgimento de infecções diversas.

Além disso, é importante fazer consultas regulares junto a um ginecologista, que poderá examinar corretamente e indicar se há algum problema ou não, podendo até mesmo prescrever alguma medicação para o combate de alguma infecção originada pelo descontrole das bactérias na flora vaginal.

<< Voltar para o inicio

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (289 votes, average: 4.07 out of 5)
Loading...